Sensação de nostalgia

Ter de vir aqui ao Parque das Nações, onde, durante uns anos, todos os dias, estacionava o carro frente à escola da minha filha mais nova e depois vinha calmamente a pé até ao emprego, apreciando as folhagens das árvores que mudavam de cor a cada época do ano, os melros a saltitar alegremente, os habitantes nos seus passeios matinais ou de fim de tarde de bicicleta, como quem de facto vive num mundo à parte dentro da cidade, as passadeiras de madeira com os seus vulcões… Foram de facto bons tempos, bem vistas as coisas e que deixam uma certa sensação de nostalgia… Está um pouco diferente mas ainda mantém aquele espírito muito típico 😉

Nostalgia dos dias em que fazia diariamente estes passeios

Hoje chove e as pessoas correm embrulhadas nos seus casacos, abrigam-se nos prédios, mas o espírito é mais ou menos o mesmo 😏

Eu gosto de viver onde vivo, também é verdade, sem prédios, sem confusões de maior, também rodeada de melros e muitos outros pássaros, em plena natureza, mas também sabe bem respirar uns minutos deste ambiente, só isso, não para viver e nem eu teria dinheiro para tal, os habitantes daqui, ou têm posses para aqui viver em pleno ou vivem numa pobreza envergonhada em que para manter a casa não sobra para a mobilar e até pouco para comer… Conheço casos desses aqui como também me lembro de casos desses nas Torres do Restelo em que as pessoas viviam em casas vazias para poder dizer cheias de orgulho que viviam nas torres ao lado de vizinhos com casas enormes mobiladas a preceito, carros xpto, uma carrada de filhos, empregadas, casas de campo, barcos e cavalos no jockey… Mas isso são escolhas e cada um é feliz como é e não estou a fazer nenhuma crítica, são escolhas apenas e vidas que até podiam ser mais fáceis mas as pessoas escolheram um caminho mais difícil… Só isso…

Zambujo

Também não sou ninguém para criticar, não sou exemplo para ninguém… Não é tanto a casa ou os móveis, mas também tenho as minhas dificuldades, no meu caso muito resultado de não ser capaz de virar costas às dificuldades alheias… Só de ração de cão sou bem capaz de gastar uns 50 a 60€ por mês… Quantas pessoas é que assumiram uma despesa destas para alimentar cães que não escolheu ter? Que lhes enfiaram em casa e depois viraram as costas? Poucas mesmo mas a minha consciência acaba por me obrigar a ser assim e pronto… São escolhas mais ou menos forçadas, mas escolhas e sim, o dinheiro faz-me falta mas qual é a alternativa? Aguentar, que remédio!

Meu adorado Jerónimo a (des)ajudar na jardinagem

Certos animais, como o Zambujo, eu quis, outros como o Sebastião, eu desejei e amo profundamente, agora animais como a Saltarica, a Canon ou a Kodak, foram-me lá enfiados por quem os adotou e se cansou e achou que como tenho espaço era o local ideal para despejar

Sebastião

Outros, sempre em Julho quando as pessoas queriam ir de férias, foram atirados para dentro da minha rede como a Mafalda, agora com filhos ou este ano a Eva… O Ginjas enorme rafeiro alentejano também tinha um dono que se fartou dele e é mais um ocupante e como me custa assumir as atitudes que vejo os outros terem, lá vou assumindo mais esse encargo, fazer o quê mesmo?

Eva

Resta-me ir desmontando canís, que também os paguei, para não dar ideias a mais ninguém do Ahhh tu tens tanto espaço,,, na verdade, tenho espaço mas não tenho dinheiro para sustentar tudo aquilo que as pessoas acham que o meu muito espaço pode suportar, é simples, não entra mais nenhum cão, não dá 😔

Pronto está dito… Mais uma vez claro… Mas é sempre bom rever o parque das nações, isso é 😁

Carla

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s